A natação é terapêutica para cães idosos?

A natação é terapêutica para cães idosos?

Médicos e fisioterapeutas geralmente recomendam a natação como um exercício de baixo impacto para pessoas que estão se recuperando de lesões ou como uma forma de idosos se manterem ativos. Diz-se que a natação é fácil para as nossas articulações, enquanto aumenta a resistência e a força muscular. Na verdade, você trabalha quase todos os músculos do corpo quando nada, tornando-se um treino maravilhoso. Mas, a natação oferece benefícios semelhantes para os cães? De acordo com a Dra. Stephanie Liff, veterinária praticante e proprietária da Pure Paws Veterinary Care em Brooklyn, NY, a resposta é sim.

“Assim como para as pessoas, a natação é uma forma de exercício de baixo impacto que pode ser muito útil para animais de estimação”, diz Dr. Liff. “Pode ajudar na cura e reabilitação pós-cirurgia ortopédica ou neurológica, ou pode ser usado para perda de peso em animais de estimação que têm artrite ou outras limitações que dificultam o exercício.”

Quase todos os cães podem se beneficiar do exercício que a natação oferece, mas o Dr. Liff diz que é especialmente útil para cães idosos ou animais de estimação mais jovens com deficiências.

É importante notar que, se o seu cão estiver se recuperando de uma lesão ou doença, você deve definitivamente verificar com seu veterinário para garantir que ele possa nadar com segurança. “Há um momento apropriado no pós-operatório para começar a nadar, que é depois que todas as feridas e incisões cicatrizam e as suturas ou grampos são removidos”, explica o Dr. Liff. E em alguns casos, nadar pode não ser a melhor opção. “Muitos animais de estimação com doença dermatológica devem evitar fontes públicas de água ou, em alguns casos, não devem ser expostos à natação devido a feridas abertas etc.”, acrescenta. “Além disso, cães com infecções de ouvido não devem nadar durante o tratamento.”

Para cães que conseguem nadar, certifique-se de que não exagere. Alguns companheiros caninos não sabem quando parar. Dr. Liff diz que é importante começar devagar e observar seu cão em busca de sinais de esforço excessivo. “Assim como em qualquer exercício, é importante consultar seu veterinário antes de iniciar um novo programa”, aconselha ela. “Além disso, como é um exercício e pode levar ao esforço muscular, você pode sentir dor após nadar, então monitore seu animal de estimação e ajuste a duração do exercício conforme necessário.”

Dependendo de onde você mora, você pode ter várias opções quando se trata de onde seu cão nada: riachos, lagos, oceano, um centro de natação para cães ou até mesmo sua própria piscina no quintal. Tudo isso varia em profundidade, força, temperatura e, claro, qualidade da água. Há sempre uma chance com corpos d'água públicos de que seu cão possa pegar uma infecção, como giárdia (uma infecção intestinal que se espalha através de alimentos ou água contaminados). Se o seu cão tiver um sistema imunológico comprometido, pode ser melhor evitar deixá-lo nadar em corpos d'água públicos. “Em termos de terapia, o local não importa, mas, claro, a segurança é maximizada por um ambiente controlado, que o rio ou o mar podem não fornecer, dependendo de outros fatores”, explica Dr. Liff.

Se o seu cão for nadar em uma piscina, verifique se há uma maneira fácil de ele sair, como escadas, para evitar um possível afogamento. Se houver o risco de seu filhote se aventurar em águas mais profundas, como em um oceano ou lago, faça com que ele use um colete salva-vidas para cães.

Tenha em mente que todos os cães não são nadadores naturais, e alguns realmente não gostam de água, então apresente seu companheiro canino a nadar devagar e com segurança para evitar acidentes. Dr. Liff adverte que nenhum cão deve nadar sem que um humano o observe de perto.

Artigos Relacionados

Abissínio

Abissínio Preço

O  abissínio  é um gato muito desejado por isso existem gatil com demandas de preços diferentes. O Preço abissínio filhotes varia de R$ 1.000,00 a

Veja mais »