Como mudar os alimentos para cães: fazendo a transição da dieta do seu cão

Como mudar os alimentos para cães: fazendo a transição da dieta do seu cão

Talvez o seu veterinário tenha recomendado uma dieta com receita, ou talvez você simplesmente tenha decidido experimentar uma nova marca. Seja qual for o motivo da mudança, mudar a dieta do seu cão é mais complexo do que simplesmente colocar o novo alimento em uma tigela. Para evitar irritar o estômago do seu cão, você precisará fazer a transição para o novo alimento da maneira certa. Esta é a melhor maneira de trocar a comida do seu cachorro.

Como trocar a comida do seu cachorro

Mudar a comida do seu cão abruptamente pode causar distúrbios gastrointestinais, como vômitos, diarréia e diminuição do apetite. Sempre que você decidir mudar a comida do seu cão, você deve fazer a transição para a nova dieta gradualmente, a fim de dar ao sistema do seu cão tempo para se ajustar à mudança. Idealmente, essas transições devem acontecer ao longo de 5 a 7 dias. Durante essa transição, você irá incorporar gradualmente mais e mais do novo alimento, misturando-o com a dieta atual do seu cão. Para a maioria dos cães, uma boa transição de dieta será assim:

Dia 1: 25% da dieta nova e 75% da dieta antiga. Dia 3: 50% da nova dieta e 50% da antiga. Dia 5: 75% da nova dieta e 25% da antiga. Dia 7: dieta 100% nova. Alguns cães com estômagos sensíveis, alergias alimentares ou outras doenças gastrointestinais podem precisar de um período de transição ainda mais longo. A chave para uma boa transição de dieta é monitorar a resposta individual de seu cão. Se, a qualquer momento durante a transição da dieta, seu cão apresentar sinais preocupantes como alterações no apetite, vômitos ou diarreia, você deve proceder mais devagar. E se você fez a transição gradualmente e seu cão ainda está com problemas de estômago, é melhor consultar o seu veterinário. Em alguns casos, pode ser necessário escolher uma dieta diferente.

Reações alimentares adversas em cães

Uma reação alimentar adversa é um termo geral usado para descrever uma série de doenças diferentes relacionadas aos alimentos em cães, como alergias alimentares, intolerância alimentar e outras doenças gastrointestinais. Muitas pessoas descreverão seus cães como tendo “alergias alimentares”, mas isso nem sempre é correto. As verdadeiras alergias envolvem uma resposta muito específica do sistema imunológico do cão – e isso não é definitivamente diagnosticado em muitos casos. Assim, é mais correto referir-se a esses eventos como reações alimentares adversas.

As reações alimentares adversas podem se manifestar com sintomas gastrointestinais, sintomas cutâneos ou uma combinação dos dois. Os sinais gastrointestinais de uma reação alimentar adversa incluem náuseas, vômitos, diarreia e alterações no apetite. Os sintomas cutâneos incluem uma ampla gama de sinais, como coceira, inflamação da pele, perda de cabelo e muitos tipos diferentes de erupções cutâneas. Existem muitas outras doenças que podem causar sintomas semelhantes, por isso é importante que seu cão seja avaliado por seu veterinário se esses sintomas ocorrerem.

Se seu veterinário suspeitar que seu cão está tendo uma reação alimentar adversa, ele pode recomendar a realização de um teste de dieta de eliminação. Isso significa que seu cão comerá apenas uma dieta hipoalergênica prescrita e nenhuma outra fonte de alimento por pelo menos oito semanas. Se os sintomas do seu cão desaparecerem durante o teste da dieta, isso pode ser um sinal de que a comida foi a culpada. No final do teste de oito semanas, seu veterinário também pode realizar um teste de desafio, reintroduzindo certos alimentos na dieta do seu cão para ver se eles provocam outra reação. O teste de desafio pode ajudar você e seu veterinário a determinar exatamente quais alimentos são problemáticos para seu cão, para que você possa evitá-los no futuro.

A prova está no cocô!

A melhor maneira de monitorar a saúde digestiva do seu cão é prestar atenção à qualidade das fezes. Embora pequenas variações na cor e consistência das fezes sejam normais, qualquer alteração importante pode indicar um problema que precisa ser resolvido. Uma ótima maneira de avaliar as fezes do seu cão é usar um Gráfico de Pontuação Fecal. Uma pontuação fecal ideal é 3-4. Números mais baixos podem indicar desidratação ou constipação, enquanto números mais altos são indicativos de distúrbios gastrointestinais, que podem ser devido a uma variedade de fatores. Se as fezes do seu cão estão consistentemente fora da faixa normal, é recomendado que você consulte o seu veterinário a respeito da saúde digestiva do seu cão.

Como escolher um alimento para cães

Escolher uma dieta adequada para seu cão é um processo complicado. O grande número de opções de comida para cães disponíveis é impressionante. Infelizmente, não existe uma dieta “melhor” para todos os cães. Assim como os humanos, os cães são indivíduos e suas necessidades dietéticas variam de acordo com fatores como idade, saúde e preferências pessoais.

Para complicar ainda mais o processo, existem muitos mitos sobre a comida de cachorro na internet. Muitas pessoas são vítimas de campanhas publicitárias ou de táticas de amedrontamento, alertando-as para não consumir alimentos comerciais para cães. Felizmente, a World Small Animal Veterinary Association publicou um guia intitulado “The Savvy Dog Owner's Guide: Nutrition on the Internet” para ajudar os donos de animais de estimação a decifrar fatos da ficção ao fazerem suas próprias pesquisas sobre comida de cachorro.

Aprender a ler o rótulo de uma ração também pode ajudar a desmistificar o processo de escolha de uma ração. As informações no rótulo de um alimento para animais de estimação são orientadas pela Associação Americana de Oficiais de Controle de Alimentos (AAFCO). A AAFCO é responsável por estabelecer definições para muitos dos termos que você encontrará em uma sacola de comida de cachorro. Entender esses requisitos de rotulagem pode tornar mais fácil identificar quais produtos são melhores para seu cão. Procure as palavras “dieta completa e balanceada” no rótulo.

Encontrar o melhor alimento para o seu cão pode ser um processo demorado, mas com as ferramentas certas e uma transição gradual, você pode garantir que a troca seja bem-sucedida. Durante a transição, certifique-se de monitorar o apetite, o comportamento e a qualidade das fezes do seu cão para ajudar a determinar se a nova dieta é a escolha certa para ele. Como sempre, seu veterinário é sua melhor fonte de informações sobre a saúde e nutrição de seu cão.

Artigos Relacionados

Blog / Dicas

Origem do Labrador

Origem do Labrador Criado no século XIX no Canadá, o retriever do labrador (ou labrador retriever) é um dos cachorros mais populares do mundo. Sempre

Veja mais »