Constipação canina: remédios caseiros e quando chamar o veterinário

Constipação canina: remédios caseiros e quando chamar o veterinário

A constipação refere-se à incapacidade de produzir fezes normais em um horário regular, o que, para um cão, é geralmente uma ou duas vezes por dia. Os cães que sofrem de prisão de ventre não “vão” de jeito nenhum, se esforçam para defecar ou produzem fezes duras como pedra.

Em casos crônicos, os cães podem reter matéria fecal dura e seca em seu trato digestivo. Isso é conhecido como obstipação, em que há tanta matéria fecal que fica compactada e o cão não consegue defecar.

Quais são os sinais da constipação canina?

Os sinais de prisão de ventre são bastante óbvios, incluindo:

Falta de defecação por alguns dias; Fezes duras e secas que parecem seixos quando você as pega. Dois outros sinais de desconforto estão associados à constipação, incluindo:

Tenesmo, que inclui esforço para defecar com pouco ou nenhum resultado, ou produção de pequenas quantidades de matéria fecal líquida misturada com sangue; Disquezia, que é uma defecação dolorosa ou difícil.

O que causa constipação?

Em circunstâncias normais, a matéria fecal viaja pelo trato digestivo, chegando ao cólon, onde água e eletrólitos são absorvidos da massa. A reabsorção de água é a principal função do cólon.

O material fecal no cólon é movido por um processo conhecido como “ondas peristálticas”. Se esse processo for prejudicado ou retardado, a massa fecal irá parar no cólon e continuará a perder umidade, tornando-se dura, seca e, em última análise, impossível de ser eliminada.

Os cientistas há muito usam um termo geralmente associado à geologia – “concreção” – para descrever fezes que são tão duras quanto uma rocha.

Causas mais comuns

Os livros de veterinária listam uma série de causas subjacentes, algumas tão benignas quanto a falta de exercícios, outras, problemas muito mais sérios, como o câncer. Os veterinários categorizam essas causas, com base em onde o problema ocorre ao longo do trato digestivo. Eles usam as palavras:

Interluminal (referindo-se a bloqueios dentro do cólon) Extraluminal (obstruções originadas fora do cólon, como tumores ou fraturas pélvicas) Intrínseco (doenças e lesões nervosas) Algumas das razões mais comuns pelas quais os cães ficam constipados incluem:

Dieta – Como nos humanos, uma dieta pobre em fibras costuma ser o problema. Além disso, ao contrário dos humanos, os cães tendem a comer coisas que não são comida – como cabelo, brinquedos e areia para gatos – e isso pode causar bloqueios e trânsito fecal anormal. Ossos, farinha de ossos e outras fontes de cálcio na dieta podem contribuir para a constipação. Idade – os cães idosos parecem mais propensos à constipação. Nível de atividade — Por razões desconhecidas, ser sedentário geralmente resulta em trânsito mais lento. Tumores do trato digestivo Tumores que estreitam a região pélvica Problemas da glândula anal Aumento da próstata Desidratação ou desequilíbrios eletrolíticos Drogas, incluindo opiáceos, diuréticos, anti-histamínicos, alguns antiácidos, certos medicamentos contra o câncer Doenças metabólicas, como hipotireoidismo e problemas renais (rins) Doenças da coluna vertebral e lesões nervosas centrais distúrbios do sistema Estresse e problemas psicológicos – algo no ambiente que levará um cão a segurá-lo. Distúrbios ortopédicos que dificultam o agachamento do cão. Cirurgia — Os procedimentos médicos e os medicamentos administrados durante esses procedimentos podem resultar em prisão de ventre. Ligue para o seu veterinário para obter conselhos se você observar isso no período pós-cirúrgico.

O que fazer se seu cachorro estiver constipado

Se o problema acabou de começar – não mais do que um ou dois dias – alguns remédios caseiros podem fazer as coisas andarem novamente. Ligue para seu veterinário antes de adicionar qualquer suplemento e lembre-se de que nenhuma estratégia funciona para todos os cães. Mas alguns dos métodos mais antigos para o tratamento da constipação incluem:

Abóbora – estranhamente, essa solução dietética funciona em alguns cães para constipação ou diarreia. É rico em fibras e umidade, e muitos cães gostam de seu sabor, por isso eles tomarão este medicamento com prazer. Existem várias receitas de saborosas guloseimas de abóbora que os cães adoram, embora, para regular o trato digestivo, seja provavelmente melhor administrá-las diretamente. Experimente abóbora enlatada pura ou abóbora em pó. Alimentos enlatados para cães – O alto teor de umidade dos alimentos enlatados pode ajudar a regular o sistema. Suplementos de fibra em pó Alimentos e ervas, como gengibre, farelo de trigo, sementes de psyllium em pó e azeite de oliva, podem ajudar. Um estudo de 2011, explorando tratamentos para constipação em humanos, mostrou que a pasta de figo foi eficaz para o tratamento da constipação em sua colônia de pesquisa de Beagles. Alimentos que ajudam humanos com o problema provavelmente são bons para cães, mas é sempre prudente verificar com seu veterinário. Hidratação – certifique-se de que seu cão tenha acesso a água potável e talvez a suplementos de eletrólitos. Exercício

Quando levar um cão constipado ao veterinário

É uma boa ideia chamar o veterinário assim que você souber do problema. A constipação pode ser um sinal de algumas doenças muito graves.

A constipação crônica ou prolongada pode levar ao acúmulo de matéria fecal seca que fica presa no cólon, conhecido como obstipação. Isso pode contribuir para outra condição caracterizada pela incapacidade de defecar normalmente – megacólon. O cólon torna-se distendido e perde a capacidade de mover as fezes. A constipação crônica é um fator contribuinte e um sinal desse transtorno.

Ao visitar o veterinário, certifique-se de vir armado com o máximo de informações possível, incluindo:

A última vez que seu cão evacuou normalmente Cor e consistência das fezes Mudanças na dieta do cão ou itens não alimentares de rotina o cachorro pode ter comido (isso pode incluir qualquer coisa, de ossos a cama de gatinho) Esforço ou dor ao tentar ir Tratamentos com drogas Lesões Outros sinais de angústia ou desconforto, especialmente vômitos, letargia ou aparência inchada. Dependendo da duração e gravidade dos sintomas, o exame veterinário pode consistir em:

Palpação abdominal Exame retal Radiografias da região abdominal Enema de bário Ultrassom ou colonoscopia Hemograma completo Exame de urina Exame neurológico

Tratamento veterinário e prevenção

A maioria dos casos se resolve com tratamentos leves, como aumentar a ingestão de líquidos e fibras ou fazer mais exercícios. Supositórios laxantes e enemas podem ser úteis, mas só devem ser usados ​​com a orientação de um veterinário, especialmente se forem necessários por longos períodos.

Casos mais extremos exigirão intervenções médicas como:

Remoção manual de fezes impactadas. Droga para ativar a função normal do cólon ou para bloquear a produção de certas enzimas. A cirurgia pode ser necessária em casos muito raros e extremos, geralmente para megacólon. Um procedimento cirúrgico é conhecido como colectomia, em que seções do cólon são removidas. Para a maioria dos cães, a constipação será um problema raro, mantida sob controle por meio de uma dieta bem balanceada, acesso a água potável e exercícios regulares.

Artigos Relacionados