Filhote de Saluki: 6 dicas para cuidar do seu filhote

Você provavelmente pensou bem antes de tomar a decisão, aproveitou para avaliar suas possibilidades, entendeu todas as necessidades e fez os ajustes em seu orçamento. Finalmente, chegou o grande momento: você vai ter filhotes de cachorro em sua casa.

Seja para quem já tem cachorro em casa, seja para quem nunca teve um animal de estimação, adotar ou comprar um ou mais filhotes de cachorro requer bastante planejamento.

Quem quer adotar, além de tomar as medidas acima, por exemplo, ainda precisa escolher uma ONG de amparo animal. O passo seguinte é selecionar o bichinho que faz seu coração bater mais rápido e preencher os formulários de adoção responsável que são disponibilizados pela organização. Tudo para que os animais resgatados também tenham a oportunidade de ter um lar amoroso.

Agora que seus filhotes de cachorro chegaram em casa, é hora de curtir todos os sorrisos e alegrias que eles trazem, certo? Isso mesmo! Para tornar o processo de adaptação bem simples, reunimos dicas para cuidar de filhotes de cachorro.

Confira baixo dicas que vão te ajudar muito nos cuidados de seu filhote de Saluki

1. Prepare um bom Local 

Como todo bebê, os filhotes de cachorro também precisam de um local protegido do frio, vento e do calor intenso. O ideal é que você providencie uma caminha e coloque dentro de casa. Em dias mais frios, não se esqueça de colocar um cobertor bem quentinho.

2. Alimentação 

a necessidade energética do filhote é maior que a de um animal adulto, por isso, ofereça um alimento específico para a categoria. Os cães de pequeno porte devem receber dieta para filhotes, preferencialmente, até 9 a 12 meses; os de médio porte até 12 meses; e raças de grande porte até 18 a 24 meses.

3. Adquirindo Hábitos

Essa é a fase da vida em que o animal aprende a lidar com várias situações que podem fazer parte de sua rotina. Por isso, realize tarefas básicas para ele se acostumar, como a visita regular ao veterinário, a limpeza de ouvidos e dentes, algumas técnicas de adestramento etc.

4. Vacine seu filhote e proteja ele contra diversas doença

Assim que o seu filhote completar 45 dias, tanto de cachorro ou de gato, você já pode dar as primeiras levas de vacinas. Isso é muito importante para que o seu novo amigo fique saudável e não contraia doenças durante os passeios ou encontros com outros companheiros. Aproveite para vermifugar e dar anti-pulgas.

5. Passei com seu filhote

É recomendado que o cão tenha concluído o protocolo vacinal antes de sair de casa para evitar o contato com possíveis agentes de doenças infecciosas. Os passeios, além de serem uma atividade física importante, ajudam o animal a aprender a socializar com outras pessoas e outros cães. 

Procure um médico veterinário para cuidar da saúde do filhotinho de Saluki

6. Procure um Veterinário para te orientar

Tenha sempre um médico veterinário de confiança para te auxiliar nos cuidados com o filhote. O veterinário consegue mapear doenças e necessidades do animal, além de receitar vacinas, vermífugos e outros medicamentos que todos os filhotes precisam consumir. Assim como os bebês, filhotinhos são muito sensíveis. Eles ainda não possuem o sistema imunológico fortalecido e estão suscetíveis a várias doenças, o acompanhamento médico é essencial.

Antes de tudo, planejamento!

Não importa se é filhote de cachorro de raça ou não, nem se é filhote de cachorro pequeno, grande ou médio, os cuidados com o cachorro sempre serão semelhantes e antes de decidir ter um pet em casa, é necessário planejar!

Receber um novo cachorro em casa é semelhante a receber um bebê e por isso é fundamental tomar alguns cuidados com a casa, preparar um local para o pet e fazer um planejamento de gastos.

Afinal, é comum se deparar com famílias doando animais por conta de uma adoção sem planejamento, quando a família não tem tempo de dar atenção ao pet ou não tem condições de lidar com os gatos que um filhote, ou até mesmo um cão adulto necessita.

Por isso, antes de ter um novo membro na família, é importante colocar a ideia no papel e ver se realmente vale a pena, avaliar se os tutores terão tempo de cuidar do animal, alimentar, dar carinho e fazer visitas frequentes ao veterinário.

Afinal, tudo isso é fundamental para o bem estar e para a saúde do animal.

Artigos Relacionados