Parasitas de cães externos: pulgas, carrapatos, piolhos, ácaros

Parasitas de cães externos: pulgas, carrapatos, piolhos, ácaros

Parasitas externos vivem do lado de fora do corpo de um cão. De acordo com a American Veterinary Medical Association (AVMA), em algum momento de suas vidas, muitos animais de estimação experimentam desconforto causado por parasitas externos, como pulgas, carrapatos ou ácaros, na pele ou nas orelhas. Esses parasitas podem causar sérios problemas de pele ou transmitir doenças. Os medicamentos modernos tornam o tratamento, controle e prevenção de muitos parasitas externos muito mais fáceis do que no passado.

Pulgas

As pulgas são pequenos insetos sem asas que se alimentam de mamíferos, incluindo cães. Eles prosperam em clima quente e úmido e podem ser sazonais ou ativos durante todo o ano, dependendo da região do país. As picadas de pulgas deixam alguns cães tão infelizes que eles mordem e se arranham em carne viva. As pulgas podem causar anemia em cães jovens. Além disso, os cães podem ser infectados com tênia ao engolir pulgas que carregam ovos de tênia.

Você pode ver as pulgas escuras correndo na pele do seu cão. Seus pontos favoritos incluem a base das orelhas e a garupa. Olhe de perto em lugares com pelos esparsos, como a virilha. Outra maneira de diagnosticar pulgas é separar o pelo e procurar manchas pretas do tamanho de sementes de papoula. Essas manchas são fezes de pulgas, compostas de sangue digerido. Se você não tiver certeza se está olhando para “sujeira de pulga” ou apenas sujeira simples, coloque um pouco em um pedaço de tecido branco úmido. Após cerca de um minuto, uma pequena mancha vermelha ou halo se tornará aparente se for fezes de pulga, pois o sangue se reidrata e se difunde no tecido.

Se você vir evidências de pulgas em seu cão, é essencial se livrar delas o mais rápido possível, antes que a população cresça. As pulgas famintas às vezes também picam os humanos, deixando pequenas protuberâncias vermelhas e com coceira mais comumente nos pulsos e tornozelos. Sua melhor aposta é proteger seu cão de ficar infestado de pulgas em primeiro lugar usando um produto preventivo recomendado pelo seu veterinário.

Carrapatos

Carrapatos podem causar uma série de doenças graves e doenças transmitidas por carrapatos caninos, incluindo doença de Lyme, Erliquiose e Febre Maculosa das Montanhas Rochosas. Existem mais de 800 espécies de carrapatos em todo o mundo, e todos se alimentam do sangue de mamíferos, aves e répteis. Os carrapatos passam por quatro estágios de vida, que podem levar até três anos para serem concluídos. Uma vez que os ovos eclodem, eles devem comer sangue para sobreviver.

O Laboratório de Diagnóstico Veterinário do Estado do Kansas relata que, anualmente, milhares de cães e humanos são infectados com doenças transmitidas por carrapatos, e essa taxa está subindo devido ao aumento da variedade de várias espécies de carrapatos, invasão de espécies selvagens nos ambientes urbanos tradicionais e um aumento nas viagens de animais de estimação. A grande variação no início da doença, os sinais clínicos variáveis ​​exibidos e a resposta à terapia podem dificultar o diagnóstico definitivo da doença específica transmitida por carrapatos. Eles sugerem que um painel de triagem de doenças transmitidas por carrapatos pode ser muito útil na identificação do tipo de infecção transmitida por carrapatos. A doença não se espalha entre cães e humanos; uma mordida direta de um carrapato é a única maneira de se infectar.

Verifique se há carrapatos no seu cão diariamente depois que ele passar algum tempo fora e, sempre que vir um carrapato, retire-o imediatamente. A melhor maneira é anestesiar o carrapato com álcool ou vaselina e retirá-lo com uma pinça de ponta fina. Uma vez removido, mate o carrapato colocando-o em um recipiente com álcool. Previna uma infestação tratando seu cão com um medicamento, imersão, spray ou pó recomendado pelo seu veterinário.

fotyma/Getty Images Plus

Piolhos e ácaros

Piolhos e ácaros são organismos microscópicos que se alimentam da pele do seu cão e causam coceira, perda de cabelo e infecção. De um modo geral, piolhos e ácaros são duas espécies diferentes, mas funcionam e se comportam de maneira muito semelhante.

Os piolhos vivem no pelo do cachorro e podem ser mortos com um inseticida usado para carrapatos ou pulgas. Observe que piolhos de cachorro e piolhos humanos são espécies diferentes – piolhos de cachorro precisam de sangue de cachorro e piolhos humanos precisam de sangue humano. Embora os humanos possam ocasionalmente ser mordidos por piolhos, eles não terão uma infestação.

Vários tipos de ácaros habitam diferentes áreas do cão, e os problemas que causam são geralmente conhecidos como sarna.

A sarna demodécica causa queda de cabelo ao redor da testa, olhos, focinho e patas dianteiras. Esses ácaros microscópicos não são altamente contagiosos, embora as mães possam transmiti-los aos filhotes. Eles aparecem como vermelhidão e pele escamosa ao redor da boca e dos olhos e é improvável que causem coceira. Alguns casos desaparecem por conta própria, enquanto outros requerem xampus especiais ou medicamentos orais. Quando um cão adulto desenvolve sarna demodécica, o cão geralmente tem outra condição médica que está comprometendo o sistema imunológico.

Otodectes ou ácaros da orelha

são bastante comuns em cães jovens. Seu cão pode ter ácaros se ele balançar a cabeça e coçar as orelhas. Você também pode ver um corrimento marrom espesso. Coçar excessivo pode resultar em feridas ou vasos sanguíneos quebrados. Os ácaros da orelha são contagiosos e podem viajar das orelhas de um cão infectado para outros cães próximos. Seu veterinário tratará seu cão com medicamentos, geralmente na forma de gotas para os ouvidos, e limpeza de ouvidos.

Sarna ou sarna sarcóptica

é altamente contagiosa e afeta humanos e cães. É causada quando ácaros microscópicos se enterram na pele do cão e causam coceira intensa. A sarna geralmente afeta as orelhas, cotovelos, pernas e rosto. Perda de cabelo, erupções cutâneas e crostas são comuns. Os veterinários prescreverão medicamentos para matar os ácaros, aliviar a coceira e curar a pele. A limpeza cuidadosa da cama e do ambiente do cão também é fundamental.

Os ácaros Cheyletiella causam o que é chamado de “caspa ambulante” na cabeça, nas costas e no pescoço de um cão. Este ácaro também causa manchas vermelhas com coceira em humanos. É incomum, mas altamente contagiosa e tratada cortando cabelos compridos, usando inseticidas tópicos e banhos medicamentosos repetidos.

Como prevenir e tratar parasitas de cães

Quando se trata de prevenir e tratar os parasitas externos que podem atormentar o seu cão, a AVMA recomenda que os donos de cães:

    Use um tratamento preventivo, como um medicamento tópico, um colar de pulgas e carrapatos ou outro método.

Procure por pulgas, carrapatos e anormalidades na pelagem sempre que cuidar do seu cão ou quando voltar para casa de áreas que são susceptíveis de ter um maior número desses parasitas.

Consulte o seu veterinário se o seu animal de estimação coçar, mastigar ou lamber excessivamente a pelagem, balançar a cabeça persistentemente ou coçar as orelhas.

  • Consulte o seu veterinário o mais rápido possível para descobrir o melhor tratamento para o seu cão. O tratamento imediato de parasitas diminui o desconforto do seu animal de estimação, diminui as chances de transmissão de doenças e pode reduzir o grau de infestação doméstica.
  • Artigos Relacionados

    Cães

    Samoieda

    O Samoieda é companheiro muito fofo e a razão é bem perceptível. Esse cão adora interagir com as pessoas e se apega facilmente à família humana.

    Veja mais »